Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  4.62 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Vida para a arte e arte para a vida: lugares da educação em arte na constituição subjetiva
Autor:  
  Anai Heaser Pena   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UNB/PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO HUMANO E SAÚDE
Área Conhecimento  
  PSICOLOGIA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2010
Acessos:  
  324
Resumo  
  Esse trabalho investiga como a educação em arte se reflete na constituição subjetiva de pessoas que participaram de projeto social ou artístico-cultural com esse tipo de atividade. Tem como objetivos específicos: identificar os significados construídos por essas pessoas a partir da experiência de educação em arte; analisar as relações entre esses significados e os contextos sócio-culturais de sua produção; contribuir para a reflexão sobre as abordagens baseadas em arte na pesquisa científica. A fundamentação teórica está alicerçada na Psicologia Cultural e Histórico-Social, na compreensão do papel das imagens na construção de significados e sentidos, e na história da educação em arte no Brasil. A fundamentação metodológica é da pesquisa qualitativa, em especial da compreensão da pesquisa como bricolagem e do uso de abordagens artísticas. Participaram dessa pesquisa: 4 entrevistados objeto de estudo de caso, Estela, Flora, Eleutério e Ditirambo; 9 entrevistados que constituíram o pano de fundo da análise dos estudos de caso, FD, JS, PA, WA, PG, CG, RA, GS, JD; 9 coordenadores de projetos sociais e culturais, presentes nas cidades de Brasília (n=2), Taguatinga (n=1), Ceilândia (n=5), Planaltina (n=1); 8 servidores de órgãos governamentais que ofereciam apoio ou incentivo a projetos sociais ou artístico-culturais com atividades de educação em arte. Foram realizadas observações, pesquisa documental, conversas, entrevistas semi-estruturada, entrevista narrativa autobiográfica verbal, entrevista narrativa visual. As informações construídas foram analisadas por meio de metodologias artísticas, como um diário e livro de recortes, construção de um mural, de um conto e de retratos, entre outras estratégias de análise, em busca de temas e significados da educação em arte na constituição subjetiva. Identifiquei duas orientações semióticas das propostas educativas em arte nesses projetos de educação não-formal: (i) voltadas mais para as finalidades estéticas da educação em arte; (ii) voltada para os ganhos secundários ou finalidades instrumentais dessa educação. Foi possível verificar a influência da configuração dos significados atribuídos à arte em cada contexto sobre a forma como os participantes narravam a influência de sua experiência educativa em arte sobre si mesmos. O estudo permite identificar a educação em arte, segundo as narrativas de ex-participantes de projetos artístico-culturais, como um meio de atender à necessidade de criar um conduto permanente para a criação e apreciação artística, uma forma de construir, multiplicar e transformar a si e seu meio, uma forma de inserção social e identificação cultural. As narrativas construídas pelos participantes evidenciaram três orientações semióticas principais de significação da arte: como meio, como modo, ou complemento de vida. O presente estudo também ilustra a fertilidade das abordagens artísticas e do uso de imagens e narrativas visuais para a pesquisa em Psicologia.
     
    Baixar arquivo