Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  1.40 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Efeito do estresse oxidativo sobre os níveis de e-caderina na mucosa cólica de ratos com e sem trânsito intestinal
Autor:  
  Caled Jaoudat Kadri   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  USF/CIÊNCIAS DA SAÚDE
Área Conhecimento  
  MEDICINA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2010
Acessos:  
  46
Resumo  
  A mucosa do cólon possui sistemas de defesa que protegem o meio interno contra a infiltração bacteriana. As junções aderentes, formadas pelas proteínas E-caderina e β-catenina, apresentam papel fundamental nesses mecanismos. Modificações no conteúdo e padrão de expressão dessas proteínas vêm sendo responsabilizadas pela invasão bacteriana e infiltração neutrofílica na mucosa dos pacientes com colite. Objetivo: Verificar se o estresse oxidativo encontra-se relacionado a modificações no conteúdo e padrão de expressão da proteína E-caderina em modelo experimental de colite de exclusão. Métodos: Sessenta ratos Wistar foram submetidos à cirurgia, sendo 45 a derivação intestinal por meio de colostomia proximal no cólon esquerdo e fístula mucosa distal (grupo experimento) e 15 apenas à laparotomia. Os animais foram divididos em três grupos experimentais segundo o sacrifício ter sido realizado seis, 12 e 18 semanas após a cirurgia. Para cada grupo, cinco animais foram submetidos apenas a laparotomia (grupo controle). A colite foi diagnosticada por estudo histopatológico e a gravidade por escala de graduação inflamatória. A infiltração neutrofílica tecidual foi estudada pelos níveis de mieloperoxidase e o estresse oxidativo pelo ensaio em cometa. A expressão tecidual da proteína E-caderina foi analisada por imunohistoquímica e a quantificação do conteúdo tecidual por morfometria computadorizada. Para análise estatística dos resultados foram utilizados os testes de Mann-Whitney e Kruskal-Wallis, estabelecendo-se nível de significância de 5% (p<0,05). Resultados: Após a análise estatística dos resultados observou-se que nos segmentos sem trânsito fecal havia presença de colite que piorava com o tempo de exclusão. Constatou-se que os níveis teciduais de infiltração neutrofílica eram maiores nos segmentos desprovidos de trânsito fecal, e reduziam com o progredir do tempo de exclusão (p = 0,00001). Os segmentos cólicos sem trânsito fecal apresentam níveis de estresse oxidativo maiores quando comparados àqueles com trânsito preservado (p < 0,0001), aumentando com o decorrer do tempo de exclusão (p = 0,007). Os níveis de estresse oxidativo encontram-se diretamente relacionados ao maior grau histológico de inflamação tecidual e inversamente relacionados aos níveis de mieloperoxidase (p = 0,0001). O conteúdo total de E-caderina no cólon sem trânsito diminui com o tempo de exclusão, principalmente na região apical das criptas cólicas (p = 0,001). O conteúdo tecidual total de E-caderina nos segmentos sem trânsito reduz após seis semanas de exclusão estabilizando-se, porém a partir de 12 semanas (p = 0,90). As modificações do conteúdo total de E-caderina relacionam-se ao maior grau de inflamação e o aumento do estresse oxidativo. Conclusão: Existem modificações no conteúdo tecidual de E-caderina, relacionada ao estresse oxidativo tecidual. Descritores: Cólon. Colite. Estresse oxidativo. Junções aderentes. Moléculas de adesão celular. Caderinas. Ácidos graxos de cadeia curta. Ratos.
     
    Baixar arquivo