Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  2.64 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Biometria e morfologia de Attalea maripa (Aubl.) Mart. (INAJÁ) em sistema silvipastoril no nordeste paraense
Autor:  
  Ariana Kelly Mota Gemaque Matos   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFRA/CIÊNCIAS FLORESTAIS
Área Conhecimento  
  RECURSOS FLORESTAIS E ENGENHARIA FLORESTAL
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2010
Acessos:  
  462
Resumo  
  Este trabalho foi organizado em dois capítulos: o primeiro, aborda a caracterização morfométrica de cachos, frutos, sementes e caracterização morfológica de plântulas de Attalea maripa (Aubl.) Mart. (inajá); o segundo avalia a performance da palmeira inajá em área de sistema silvipastoril. A pesquisa foi realizada no âmbito do projeto “Bases Científicas e Tecnológicas para o manejo e domesticação do inajá para produção de biodiesel e recuperação de áreas degradadas”, coordenado pela Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA).. Para proporcionar o aproveitamento econômico do inajá e a sua incorporação à lista de produtos não madeireiros comerciais, esta pesquisa analisou as características morfométricas de cachos, frutos, sementes e morfológicas plântulas de inajá, assim como ajustar e construir modelos matemáticos que expressem, indiretamente, o crescimento do inajá em sistemas silvipastoris, bem como calcular índices morfométricos que permitam prever o espaço exigido para o desenvolvimento desta palmeira. Os resultados obtidos permitiram concluir que não existe diferença no crescimento das palmeiras matrizes de A. maripa em sistemas silvipastoril de Bonito-PA com as matrizes de Nova Timboteua-PA. O cacho maduro apresentou maturação heterogênea, contendo, ao mesmo tempo, frutos maduros, imaturos e apodrecidos. Existe grande variação em relação aos frutos e pirênios, independentemente, da procedência, revelando a ocorrência de classes diferenciadas de morfotipos (frutos pequenos, médios e grandes), baseadas na gradação de variáveis preditoras como tamanho e peso. A plântula de inajá apresenta características típicas do gênero Attalea, e está totalmente estabelecida quando a terceira bainha cotiledonar se expande, ocorrendo à formação da primeira folha. O estudo sobre a performance da palmeira de inajá revelou que os indivíduos adultos apresentaram ampla variação em relação as características dendrométricas. O comprimento da copa, diâmetro da copa, área de copa, proporção de copa, índice de abrangência e o formal de copa, não são influenciados pelo diâmetro. O grau de esbeltez e o índice de saliência são influenciados negativamente pelo DAP) O comprimento de copa e o índice morfométrico Grau de esbeltez estão inter-relacionados e são influenciados positivamente pelo crescimento em altura total. A proporção de copa é influenciada de forma negativa pelo crescimento em altura do estipe e pela altura de frutificação, e de forma positiva pelo comprimento da copa. O índice de saliência, o índice de abrangência e o formal de copa são influenciados positivamente pelo diâmetro da copa. Este último é influenciado de forma positiva pela altura do estipe e pela altura de frutificação, e de forma negativa pelo crescimento do comprimento de copa. Os modelos 2, 3, 5, 8 e 9, são adequados para estimar as variáveis dependentes, proporção de copa, grau de esbeltez, índice de saliência e índice de abrangência. A análise discriminante revelou que existe variabilidade em relação ao porte do inajá. Esta análise mostrou ser um método alternativo para classificação do tamanho do fruto e da palmeira de inajá.
     
    Baixar arquivo