Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  376.36 KB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Embebição em sementes de arroz com potássio e seu efeito na qualidade fisiológica
Autor:  
  Viviane Inveninato Vahl   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFPEL/CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SEMENTES
Área Conhecimento  
  AGRONOMIA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2006
Acessos:  
  726
Resumo  
  Este trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos da embebição das sementes de arroz com potássio e suas relações com qualidade fisiológica. Para tanto, foram conduzidos dois experimentos em laboratório e um em casa de vegetação. No primeiro, amostras de sementes foram embebidas em solução de cloreto de potássio com diferentes concentrações (0; 0,05; 5; 50; 500; 5000; 50000 mg de K/L), durante uma hora. Foram determinadas as percentagens de germinação, comprimento da parte aérea e raiz, condutividade elétrica e quantidade de potássio liberada pela semente para a solução. No segundo experimento foi avaliado o efeito do tempo de embebição (1; 2; 4; 8; 16; 24; 36 e 48 horas) utilizando concentração constante de 500 mg de K/L. O restante da metodologia foi similar a do primeiro experimento. No terceiro experimento foram determinadas a germinação, comprimento da parte aérea e raízes da plântula, matéria seca da planta, matéria seca da parte aérea e raízes. Os resultados evidenciaram que a concentração de 500 mg/L e o tempo de embebição de 24 horas com cloreto de potássio influenciaram positivamente o aumento do comprimento de raízes e da massa de matéria seca. Os íons potássio, cálcio e magnésio tiveram comportamento similar de lixiviação para a solução, porém o tempo de 48 horas não é limite para o potássio. O cálcio e o magnésio apresentaram tendência a cessar a lixiviação em 36 horas. No terceiro experimento foi possível inferir que o melhor resultado do número de plântulas emergidas em solo foi obtido pelas sementes osmocondicionadas em cloreto de potássio. Baseado nos resultados obteve-se as seguintes conclusões: A embebição das sementes de arroz em soluções de cloreto, sulfato e fosfato de potássio proporcionam aumento no comprimento da parte aérea e matéria seca da parte aérea das plântulas de arroz e sementes osmocondicionadas em solução de cloreto de potássio apresentam maior velocidade de emergência.
     
    Baixar arquivo