Portal Domínio Público - Biblioteca digital desenvolvida em software livre  
Missão
Política do Acervo
Estatísticas
Fale Conosco
Quero Colaborar
Ajuda
 
 
Tipo de Mídia: Texto
Formato:  .pdf
Tamanho:  1,02 MB
     
  Detalhe da ibra
Pesquisa Básica
Pesquisa por Conteúdo
Pesquisa por Nome do Autor
Pesquisa por Periodicos CAPES
 
     
 
Título:  
  Levantamento da diversidade de borboletas (Lepidoptera: Papilionoidea e Hesperioidea) na serra do sudeste do Rio Grande do Sul, Brasil
Autor:  
  Ana Luiza Gomes Paz   Listar as obras deste autor
Categoria:  
  Teses e Dissertações
Idioma:  
  Português
Instituição:/Parceiro  
  [cp] Programas de Pós-graduação da CAPES   Ir para a página desta Instituição
Instituição:/Programa  
  UFRGS/BIOLOGIA ANIMAL
Área Conhecimento  
  ZOOLOGIA
Nível  
  Mestrado
Ano da Tese  
  2005
Acessos:  
  425
Resumo  
  Procurando contribuir para o conhecimento da fauna de borboletas da Serra do Sudeste do Rio Grande do Sul e para conservação dos ambientes naturais desta região; de abril de 2003 a janeiro de 2004; foram realizadas expedições para os municípios de Caçapava do Sul e Canguçu; que abrangem as variações fisionômicas das porções norte e sul da Serra do Sudeste. Foram determinados três locais de amostragem no município de Canguçu (Rincão da Ronda Campo (RRC) (31°05'S 52°52'W); Rincão da Ronda Mata (RRM) (31°06'S 52°52'W) e Coxilha do Fogo (CF) (31°05'S 52°50'W)); e dois no município de Caçapava do Sul (Pedra do Segredo (PS) (30°32'S 53°33'W) e Passo do Lajeado (PL) (30°40'S 53°27'W)). Estes locais incluem formações de campo e / ou mata ciliar; característicos da região e com diferentes níveis de ação antrópica. O esforço amostral para registro de borboletas visualizadas foi padronizado em 12 horas-rede / local / ocasião. A composição de espécies das famílias Nymphalidae; Papilionidae e Pieridae foi comparada aos registros existentes para as áreas vizinhas; na Encosta da Serra do Sudeste e Litoral Sul; em Pelotas e seus arredores. Em um total de 289 horas-rede; foram registrados 2326 indivíduos e 82 espécies pertencentes às três famílias. Para a região vizinha; os trabalhos analisados somam 143 espécies; totalizando; para o Sudeste do Estado; 158 espécies: 116 pertencentes à Nymphalidae; 14 Papilionidae e 28 Pieridae. Do total de espécies; 15 (9%) ocorreram apenas na Serra do Sudeste e 77 (48%) em Pelotas e seus arredores; porém; para a maioria destas últimas os registros têm mais de 40 anos. Tegosa orobia (Hewitson; 1864) (Nymphalidae) é novo registro para o Rio Grande do Sul. Foram também avaliadas riqueza; diversidade; similaridade e composição de todas espécies de borboletas ocorrentes nos cinco locais da Serra do Sudeste; resultando em 3006 indivíduos e 151 espécies; sendo 58 Nymphalidae; 45 Hesperiidae; 26 Lycaenidae; 12 Papilionidae e 10 Pieridae. O índice de diversidade de Shannon-Wiener variou de 2;878 em PL a 3;693 em PS. PS e RRM mostraram-se locais mais diversos. Houve um gradiente de diversidade crescente das trilhas onde o campo prepondera – PL e RRC – àquelas com matas e maior heterogeneidade – CF; RRM e PS. A dominância foi baixa em todas as trilhas. RRC e CF apresentaram o maior valor para o índice de similaridade Morisita-Horn (0;80) e; em contraste; também para o índice de beta diversidade βw (0;50). Quase metade do total de espécies registradas (66) foi exclusiva de uma ou outra trilha. Os resultados demonstram a riqueza e peculiaridade da lepidopterofauna da Serra do Sudeste; tanto a nível regional; quando comparada aos estudos realizados na área próxima; quanto em nível local; apontando para a associação de algumas espécies a fisionomias específicas das trilhas amostradas. Tais registros fornecem subsídios para avaliação; monitoramento e educação ambiental. Indicam; ainda; a necessidade urgente de implantação de Unidades de Conservação; que incorporem as formações características desta região.
     
    Baixar arquivo